Richard

Richard era de uma família nobre. Seu pai era um almirante respeitado. Ele tinha um irmão quatro anos mais velho do que ele. Quando pequeno Richard queria ser igual ao pai, a diferença do irmão que queria ser jornalista, mas para seu pai não importava o que nenhum dos dois queria, pois os dois seguiriam seus passos de qualquer maneira.

Quando Richard tinha nove anos, seu pai perdeu uma mão por culpa de uma bala de canhão. Embora o homem ainda quisesse continuar na sua profissão, seus superiores o forçaram a se retirar. Depois disso, ele dedicou seu tempo a fazer com que seus filhos se tornassem como ele.

O irmão de Richard se matou no dia do seu aniversário de quinze anos, pois sabia que já teria idade para ser convocado. A mãe de Richard entrou em depressão e só Richard conseguia fazer com que ela sorrisse. Seu pai, embora nunca tivesse dito a ninguém, sabia que o suicídio do rapaz tinha sido em parte culpa sua, mas continuou a treinar Richard mesmo assim.

Quando Richard começou a chegar perto dos 15 anos, sua mãe sabia o que iria acontecer, logo ele seria convocado, pois seu marido faria questão que ele fosse.

Richard acordou mais de uma noite com os gritos dos pais que discutiam sobre seu futuro. Sua mãe queria que eles fugissem para longe, para algum lugar onde ele poderia ter uma vida normal, seu pai achava tudo um absurdo. Então, certo dia, Richard acordou assustado com sua mãe que andava de um lado para o outro no seu quarto. Ela queria levá-lo embora, já estava arrumando sua mala, mas Richard se recusou. Disse que ia acordar seu pai se ela não parasse com aquela ideia, que ele não ia fugir das suas obrigações como seu irmão fez.

No dia seguinte, quando ele acordou, sua mãe tinha ido embora e ele nunca mais a viu. Ela deixou um bilhete dizendo que não podia ver seu outro filho se suicidar.

Depois disso, seu avô foi morar com eles. O pai do seu pai também tinha sido militar e o tempo de Richard era preenchido todos os dias e todas as horas com treinamentos.  Ele nunca achou ruim. Nem nunca se lamentou. Era tudo o que queria. Não saberia o que faria da sua vida se não fizesse aquilo. Não saberia nem quem seria se não fosse aquilo. Principalmente quando seu pai era tudo o que lhe restava e ele sabia que seu pai só o quereria se ele fosse aquela pessoa.

Quando Richard chegou a idade, foi convocado. Com muito orgulho ele se despediu do pai, do avô e partiu com o navio.

Poucos no navio eram tão educados quanto ele e por isso a pessoa que ele mais encontrou afinidade foi Steven. Hubert também era um bom amigo, mas sempre depressivo, de um jeito que lhe lembrava seu irmão e sua mãe, por isso era difícil ficar perto dele, mas Richard gostava dele mesmo assim e sempre o defendia perante os outros.

O capitão e todos os colegas se impressionaram com as habilidades do jovem rapaz e ele sempre respondia que um dia seria um almirante como seu pai, mas então, o navio pirata veio.

-Marina Sandoval

(Richard é um personagem do meu livro O Quarto Mundo para saber mais sobre o livro clique aqui.)